Completo. Lê-se de cima para baixo

39º dia – Dia de Marte

Arrumei as minhas coisas, emalei-as e esperei pelo carteiro.
Carta da Alcina.
Carta do Granja a dizer que me concederam a licença sem vencimento no emprego.
Uff! Finalmente!

Pagaram-me os 8,5 dias a 54,66 FF o dia.
Deixei 10 FF para bombons para os miúdos. Foram extremamente simpáticos estes tipos. Eu também tentei ser mas o meu comportamento foi por vezes de timidez, principalmente à mesa.

Enquanto ia a pé para St. Pierre, comecei a perder a vontade de me lançar mais para cima, para zonas menos familiares, com o Canal da Mancha pelo meio e este céu cinzento, nada convidativo. Com sol e bom tempo era mais fácil ir por aí fora.
Demorei muito tempo a atravessar Espanha. Devia ter partido mais cedo, no início do Verão e não no fim.

Sem pedir, parou um tipo, professor de ginástica e que me levou até Royan, onde dá aulas. Ganha 3000 FF.

Depois de meia-hora sem boleia, resolvi ir telefonar. Duas horas e tal à espera, mas o preço é relativamente acessível: 10 FF por 3 minutos.
Telefonei, disse que volto para Portugal e prometi estar em casa o mais tardar daqui a 2 semanas. Vamos lá ver como.

Aí inverto eu a marcha, a caminho de Portugal.
Mas que contradição. Quando finalmente sei que estou livre do emprego até ao fim de Novembro é que resolvo voltar para trás. Talvez o Freud tivesse alguma coisa a dizer sobre isto.

Fartei-me de comprar coisas para comer: Leite, queijo, azeitonas, pão e charcutaria.

A noite a começar, eu a levantar o dedo para o último carro, antes de partir à procura de hotel e um senhor gerente, vendedor de máquinas para a vitivinicultura, a parar e a levar-me até St. Gennis.
É neutro em política. Diz ele que ganha a vida com os que vivem da po­lítica, tanto duma ponta como doutra. Diz que já falou com o 1º ministro e vários deputados e que se sente à vontade jantando com eles ou com operários e que usa sempre o mesmo tipo de vestuário em todas as estações: Fato e gravata.

Fomos visitar um cliente dele, um fazendeiro, cujo compressor de uvas está a funcionar mal e que nos ofereceu um copo. A mulher, muito faladora e alegre, disse que há um acupunctor em Bordeaux cujo tratamento restitui a tusa aos homens.
Dizia isto, fazia o gesto com o braço e ria-se muito. Castiça.

Dormi por 20 FF e comi feijões por 10.

2 Comments:

At 11/3/06 06:21, Blogger sub rosa said...

Terei tempo todo o dia de amnhã para a continuação da viagem!
;-)
Um abraço
Meg

 
At 8/8/06 02:59, Anonymous Anónimo said...

What a great site
»

 

Enviar um comentário

<< Home

Mais recente›  ‹Mais antiga